logo
  • 24 de julho de 2017
  • Cruz Alta, Música, RS
  • Comentários desativados em Coxilha Nativista inicia quarta-feira

Coxilha Nativista inicia quarta-feira

Desde às 9h desta segunda-feira (24), na Casa de Cultura Justino Martins, o público que adquiriu mesas para a 37ª Coxilha Nativista – 31ª Coxilha Piá e 1ª Coxilha Instrumental -, que ocorre a partir da próxima quarta-feira (26) e vai até domingo (30) em Cruz Alta, está retirando as pulseiras de acesso.
 
Para isso o comprador (a) deve levar o comprovante de pagamento. Ainda restam cinco mesas a venda com preço de R$ 600,00 para quatro pessoas e opção de compra de mais uma cadeira.
Acesso às arquibancadas
 
Já o acesso às arquibancadas, que pela primeira vez em 36 anos será gratuito, também se dará mediante a retirada de pulseiras.
No entanto, isso será feito sempre a partir das 18h30, no Ginásio Municipal a partir de quarta-feira.
 
A expectativa de público da Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Cultura e Turismo, organizadora do Festival mais antigo do Estado sem sofrer interrupção é de 3 mil pessoas, por noite, no Ginásio Municipal Dr. José Westphalen Correa.
 
Shows consagrados
 
O público, além de prestigiar as concorrentes, irá ver os shows de Érlon Péricles – Tributo as Mais Populares da Coxilha -, na quarta-feira, que inclui Morocha com a participação de Davi Menezes intérprete da polêmica canção na 4ª edição e que não pisa no palco Jayme Caetano Braun desde a 30ª edição quando entoou novamente os versos que geram aplausos e vaias.
 
Já Luiz Marenco, na quinta-feira, apresenta o show “Batendo Água 20 Anos” uma homenagem a música que ele e Jari Terres defenderam em 1997 e que apesar de não ter sido bem sucedida naquele ano acabou tornando-se um fenômeno de execução e gravações.
 
Também nesta noite destaque para o jovem Luis Arthur Seidel, do The Voice Kids, que usou como vídeo de apresentação no programa teve sua participação em uma Coxilha Piá.
 
Chico Saratt e Mário Barbará trazem o show Desgarrados, sucesso de crítica e público, tendo estreado no fim de junho em Porto Alegre, e Almir Sater fecha o Festival no sábado com seus maiores sucessos e a promessa de um grande momento da Coxilha.
 
Interpretes de várias gerações
 
A nata de cantores do nativismo estará reunida em Cruz Alta durante quatro dias.
 
Nomes consagrados (Adair de Freitas, Mauro Moraes, Nilton Ferreira, Tuny Brum), vencedores de festivais (Ângelo Franco, Cristiano Quevedo, Robledo Martins, Marcelo Oliveira, Leonardo Paim, Jean Kirchoff, Ita Cunha), novatos (Giordan Gomes – oriundo da Coxilha Piá -, Arthur Mattos, Lincon Ramos) vozes femininas (Shana Müller, Juliana Spanevello), grupos de Santa Catarina (Quarteto Coração de Potro) e da Argentina (El Anden) compõem o caldeirão musical que diversifica, quebra as fronteiras da musicalidade e constroem a Coxilha e os eventos do gênero pelo Rio Grande do Sul.
 
“A Coxilha este ano vem revigorada, com novidades e provando que é possível dar um sopro de renovação aos Festivais”, afirma a secretária de Cultura e Turismo Laura Durigon Ajala.
Coxilha Instrumental
 
Outra novidade do Festival é a 1ª Coxilha Instrumental, viabilizada através da Lei Rouanet e da Cooperativa Central Gaúcha Ltda (CCGL), que traz oficinas gratuitas no Acampamento Lenda da Panelinha e shows de renomados instrumentistas da música gaúcha.
 
As atrações são Marcello Caminha, Paulinho Fagundes, Samuca do Acordeon, Adriano e Cristian Sperandir, Joaquim Velho, Lucio Yanel e Grupo Eco do Pampa.
 
F: Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Cruz Alta
Share Button

Comments are closed.